Dietas DETOX

detoxin-21Uma das características de tratamentos alternativos parece ser a de que os seus proponentes utilizam termos empregados pela medicina convencional e dão-lhes significados diferentes.

Um bom exemplo seria o “detox”. Este termo é utilizado na medicina convencional para representar o processo de desintoxicação dos pacientes dependentes de drogas quando estão em tratamento.

Por outro lado, na medicina alternativa, o termo “detox” adquire um significado diferente, significando a utilização de terapias alternativas para se eliminar toxinas do corpo de indivíduos saudáveis, que alegam estar “intoxicados” por produtos provenientes do seu próprio metabolismo, decorrentes de toxinas ambientais e do estilo de vida não saudável.

Este termo se tornou tão popular que as pessoas esqueceram-se do seu real significado.

Não há dúvidas que a vida moderna nos expôs a inúmeras toxinas, ou seja, substâncias tóxicas produzidas por células vivas ou decorrentes de contaminação com inseticidas, herbicidas e conservantes presentes nos produtos processados. Muitos estudiosos afirmam que essas toxinas, em altas doses, podem trazer doenças.

As dietas de desintoxicação são definidas por um grupo de dietas de curto prazo que buscam liberar as toxinas acumuladas e os resíduos do corpo.

Elas são baseadas na teoria da “digestão e eliminação” usualmente associada à Naturopatia, uma medicina alternativa complementar que enfatiza a capacidade intrínseca do próprio corpo para curar-se e manter-se.

De modo geral, a dieta detox enfatiza os seguintes aspectos:

Ingestão diminuída de produtos químicos contidos em alimentos processados.
Aumento da ingestão de frutas, vegetais e outros alimentos orgânicos pensando em ajudar no processo de desintoxicação.
Aumento da ingestão de alimentos e fluidos que aceleram o processo de urinar (diuréticos) e defecar (laxativos).

Entretanto, essa terapia possui várias ramificações, algumas delas podem ser bastante perigosas e outras não possuem sua eficácia comprovada cientificamente. Veja algumas de suas variações:

  • Mono dietas: neste procedimento o paciente alimenta-se de apenas uma ou duas refeições ao dia (às vezes na sua forma líquida apenas) por um período de 10 a 14 dias;

ALERTA! NÃO SIGA ESTE TIPO DE DIETA, MESMO QUANDO INDICADA/ORIENTADA POR UM PROFISSIONAL DA ÁREA DA SAÚDE. Dietas abaixo de 800 kcal não podem ser administradas, pois trazem inúmeros malefícios à saúde, estes podendo ser irreversíveis! Assim como realizar apenas 1 ou 2 refeições ao dia pode ser muito perigoso!

  • Suco em jejum: nesta se consomem grandes quantidades de sucos de frutas e vegetais, juntamente com água e chás de ervas durante 1 a 3 dias;

ALERTA! MUITO CUIDADO! Não troque as refeições principais – café da manhã, almoço e jantar – por suco. Você corre o risco de ingerir pouquíssimas calorias necessárias para o funcionamento do seu corpo, além disso, poderá não estar ingerindo os outros nutrientes indispensáveis para sua saúde em quantidade suficiente (carboidratos, proteínas e lipídeos).

  • Dietas vegetarianas ou semi-vegetarianas: permitem o consumo de variados grãos integrais, legumes cozidos, frutas frescas e pequenas quantidades de alimentos ricos em proteínas, bem como copos de água e chás de ervas a cada dia.
  • Dietas com alimentos crus: está baseada na premissa de que alimentos que não passam pelo processo de cocção previnem a acumulação de toxinas no sistema digestivo;

tabelaartigo1-20

Os benefícios alegados do da dieta detox incluem aumento dos níveis de energia, maior capacidade mental e habilidade em se concentrar, pele mais limpa, digestão e sono melhorados.

É importante destacar que muitos desses benefícios são resultantes de uma melhor hidratação (usualmente recomendada pelos profissionais da saúde). Ou seja, seria realmente necessário se submeter a várias restrições? Ou seria melhor associar uma boa hidratação a uma alimentação nutricionalmente balanceada?

Muitas pessoas também perdem peso nesta terapia, porém, a própria medicina alternativa enfatiza que a redução do peso NUNCA deve ser o propósito principal quando se deseja seguir a dieta detox.

De acordo com a terapia alternativa, alguns indivíduos NÃO podem seguir uma dieta de desintoxicação:

  • Grávidas ou mulheres amamentando
  • Crianças
  • Pessoas com diabetes, hipotireoidismo, doenças cardiovasculares, anorexia ou bulimia nervosa, doenças nos rins ou fígado, com úlceras estomacais, com sistema imune comprometido, com epilepsia, câncer, doenças terminais, infecções ativas ou colite ulcerativa
  • Pessoas abaixo do peso
  • Viciados em drogas ou álcool
  • Pessoas que passaram recentemente por cirurgia ou tratamento de queimaduras

Estas precauções DEVEM ser levadas em consideração, pois nessas “dietas”, indivíduos com diabetes não diagnosticado podem sofrer danos metabólicos; tonturas e diminuição súbita da pressão arterial; crises de diarreia por conta de desidratação ou desequilíbrios hidroeletrolíticos; deficiência de proteínas e cálcio podem se desenvolver devido a longos períodos em jejum ou ingestão exclusiva de sucos. E tem mais! Erosões dentais podem ocorrer por conta da ingestão de apenas alimentos crus!

Outros efeitos colaterais alegados pelos seguidores da medicina alternativa incluem: dores de cabeça (geralmente associados à diminuição da ingestão de cafeína), fadiga, constipação (devido à baixa ingestão de fibras), acne, irritabilidade, dismenorreia e fome intensa.

Os defensores do detox destacam que há certos sinais e sintomas que devem ser um alerta para se buscar tratamento para reduzir a carga de toxinas do corpo, como:

Lesões de pele, erupções cutâneas, oleosidade, halitose, alterações do paladar, letargia, disfunção cognitiva, dores musculares, entre outros.

Porém, há algo muito importante a se considerar! Todos os sinais e sintomas citados acima podem acontecer em várias doenças, não estando necessariamente relacionados aos níveis de toxinas no corpo. Além disso, não há especificações de quantos ou quais sintomas ou sinais listados acima um indivíduo deveria possuir para iniciar o tratamento alternativo.

Portanto duas questões importantes surgem: é realmente necessária a desintoxicação como medida terapêutica para TODOS, ou apenas em casos extremos, onde pessoas estão realmente envenenadas por toxinas ou substâncias tóxicas? Além disso, algumas dessas técnicas de dietas realmente oferecem uma alternativa medicinal para efetivamente diminuir as toxinas do corpo?

A característica comum de todos estes tratamentos é que não são comprovados cientificamente. Até experts no assunto, simpatizantes da medicina alternativa, admitem: “enquanto existem várias triagens controladas e randomizadas para desintoxicação de drogas e álcool, não há triagens voltadas para o popular ‘detox’… até o momento”. Os estudos que foram publicados nesta área possuem metodologias pobres resultando em conclusões que não podem ser agregadas.

Como explanado acima, enquanto há total ausência de evidências científicas que comprovem os benefícios do ‘detox’, alguns desses tratamentos mostraram riscos, dietas que causam má nutrição (mono dietas, sucos em jejum), hepatotoxicidade (suplementação), depleção de eletrólitos e perfuração do cólon (enemas).

Por outro lado, os seguidores da detox apontam que uma ciência moderna de detoxicologia está emergindo. Se realmente isto ocorrer, esta ciência deverá responder as seguintes questões:

  1. O que e quais são as toxinas?
  2. Que evidencias existem que provam seu dano em nossa saúde?
  3. Como quantificamos essas toxinas em nosso corpo?
  4. Como diagnosticamos pacientes que necessitam de “detox”?
  5. Quais tratamentos são realmente eficazes em eliminar toxinas?

Atualmente não há evidências suficientes para responder quaisquer dessas questões. Até esta situação mudar, acorda-se que a ciência da medicina alternativa está escassa de informações sólidas.

Portanto, vamos refletir: os benefícios deste tipo de terapia não foram comprovados e, somado a isto, vários são os riscos ao seguir o detox… Então, não seria mais interessante associar apenas alguns pontos positivos do detox ao seu hábito alimentar para deixa-lo mais saudável? Por exemplo, os efeitos antioxidantes das frutas, vegetais e superalimentos (espirulina, chia, cacau, etc.) são COMPROVADOS cientificamente, então por que não inseri-los na sua alimentação? A hidratação é comprovadamente benéfica, por que não hidratar-se corretamente diariamente e aproveitar todos os seus benefícios?

Vamos dar um “outro” significado ao “detox”! Adquira hábitos saudáveis, com um maior consumo de frutas, verduras e grãos integrais, sem passar por grandes sacrifícios ou grandes modificações da sua alimentação habitual.

E lembre-se: PROCUREM SEMPRE O PROFISSIONAL MAIS CAPACITADO PARA PLANEJAR SUA ALIMENTAÇÃO – O NUTRICIONISTA!

Referências de suporte

ERNST, E. Alternative detox. Br Med Bull. 2012; Link: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22297655.

Detoxification Diets. Link: http://www.diet.com/g/detoxification-diets

JUNGER, A. Clean Detox Manual & Sample Meal Plan.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *